Skip links

História

Conheça a trajetória do Campeão Mundial, desde o início em Taubaté, quando decidiu jogar vôlei na escola em que estudava.

O começo em Taubaté

A história de Sidnei dos Santos Júnior no vôlei começou na sua terra natal, Taubaté, no Vale do Paraíba. A escola em que estudava era forte nos campeonatos regionais, e foi justamente nestas competições que o futuro Sidão marcou seus primeiros pontos. Na época, a cidade formou um time de vôlei e ele fez parte desde o primeiro treino. Foi então que seu técnico o incentivou a se inscrever na peneira no clube Banespa, um grande polo do vôlei nacional, conhecido por formar e revelar atletas para a Seleção Brasileira.

“Eu já era alto e tinha mais facilidade. Comecei a gostar muito de jogar vôlei e queria demais passar naquela tão sonhada peneira”, conta.

Escolhido entre mais de três mil jovens no Banespa

Em 1997, Sidão chegou em São Paulo para participar da peneira do Banespa. A porta de entrada de tantos aspirantes a atletas no vôlei. Ele se inscreveu na categoria infanto-juvenil e teve o desafio de brigar por uma vaga no time contra nada menos que três mil jovens. Quando recebeu a notícia de que tinha passado, junto com cinco outros meninos, selecionados entre milhares, foi, como ele mesmo conta, um sonho.

Era um sonho estar ali e passar na peneira foi uma realização gigantesca. Eu sabia da dificuldade que teria, precisaria mostrar o meu absoluto melhor. Lutei muito por isso. O Banespa tinha uma base muito boa, trabalhava toda a coordenação motora do atleta. E aprendi a ser homem. Eu ainda fazia tudo sozinho, acordava cedo, cuidava das minhas tarefas, ia ao banco, enquanto morava com outros atletas”.

A transferência para a Itália em 2006

Sidão jogou no Esporte Clube Banespa por cinco anos, um período muito rico em conhecimento no vôlei. O clube era conhecido como a “Morada dos Campeões” por algum motivo. Depois dali, Sidão passou por Santo André, Ulbra e Cimed Florianópolis. Mas em 2006, aconteceu a grande mudança da sua carreira. Sidão mudou de continente para jogar em outra potência do vôlei mundial, a Itália. Aos 24 anos de idade, o central assinou com o Pallavolo Modena, o maior campeão da Superliga Italiana e Tetracampeão da Champions League.

A ida para a Itália foi mais um sonho realizado e jogar em Modena era algo que eu tinha em mente, pela equipe ser tão vitoriosa. A adaptação não foi fácil, eu não falava Italiano e era a primeira vez que eu tinha ido morar fora do Brasil para jogar. Naquela temporada, tinha quatro brasileiros no meu time, e isso dificultou mais o aprendizado do idioma. Mas em quatro meses, eu já estava bem adaptado e aprendi a falar a língua deles. Até hoje tenho muita saudade e gostaria muito de voltar a jogar lá”.

Em 2010, a conquista do Título Mundial

Logo na sua primeira temporada no Modena, Sidão foi chamado para a Seleção Brasileira e participou de uma das fases mais vitoriosas do vôlei brasileiro, com quatro títulos da Liga Mundial entre 2006 e 2010, ano em que conquistou o Campeonato Mundial, disputado justamente na Itália, entre setembro e outubro. Sidão considera este o título mais marcante da sua carreira.

“Claro que teve muitas conquistas que marcaram a minha carreira. Mas esta foi a mais especial, quando vencemos Cuba na final e conquistamos o tricampeonato consecutivo, alcançando o mesmo feito da Itália. Foi o campeonato que eu mais gostei e me senti melhor, mesmo jogando pouco, estava começando a ser titular e jogando mais minutos. É um campeonato longo, o mais difícil de jogar. E foi na Itália, onde eu joguei”.

O casamento com Dani Lins

No dia 26 de dezembro de 2015, Sidão se casou com Dani Lins, também atleta de Vôlei, em Pindamonhangaba, cidade vizinha à Taubaté, onde ele nasceu. Sidão e Dani se casaram depois de cinco anos e cinco meses de namoro, e a cerimônia teve cobertura da Globo. Como ambos são atletas e servindo à Seleção Brasileira, os compromissos nem sempre batiam e muitas vezes ficavam um tempo sem se ver. Mas a distância era sempre superada, quando havia um tempo hábil, por menor que fosse, o casal arrumava um jeito de ficar junto e seguir treinando. Sidão pediu Dani em casamento em um jantar em São Paulo, e os dois foram às lagrimas com o “Sim!”.

Papai Sidão!

Sidão atualmente tem dois filhos. Rafael, nascido em 11 de dezembro de 2007, e a pequena Lara, nascida em 25 de fevereiro de 2018. Ele mesmo conta que o nascimento de um filho tira mais o sono do que uma final olímpica!

“Já dormi melhor antes de final olímpica!! Sensacional, joguei cinco sets! Durante a cirurgia fui pegando coragem, fiquei curioso. Já quero de novo!”